O fracasso da oposição em Goiás e no Brasil

Governador mostra disposição para o diálogo com legendas, mas nem todos aceitam seus termos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não tem oposição. Em Goiás, o governador Ronaldo Caiado (DEM) não tem oposição. Em Goiânia, o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) não tem oposição. Em Aparecida de Goiânia, o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) tem oposição? Não tem. A oposição está fora de órbita.

A vitória de Arthur Lira na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados foi uma vitória de Bolsonaro e uma vitória da política tradicional. Ele venceu usando métodos conhecidos. A vitória de Lira foi também uma vitória de Caiado, porque deu fôlego ao seu partido e de certa forma significou mais uma derrota da oposição em Goiás. O derrotado Baleia Rossi era da legenda de Daniel Vilela, derrotado pelo democrata em 2018 e potencial adversário em 2022.

Caiado, no caso, vai se saindo mais vencedor que todos. Porque o fortalecimento de Bolsonaro para a reeleição indiretamente aponta como seu fortalecimento, já que são aliados desde sempre. E se somarmos as derrotas da oposição ao cenário que se formou em Goiânia com a morte de Maguito Vilela e a ascensão de Rogério Cruz, temos mais adversidade para a oposição. Afinal, Cruz dará palanque aos MDB oposicionista, como faria Maguito, pai de Daniel e padrinho de Mendanha?

O PT é outro que não se opõe. Nem nacionalmente nem por aqui. No País, a perspectiva de poder segue do lado de Bolsonaro e Caiado, neste momento. Uma possível união nacional de esquerda e centro para o enfrentamento ao bolsonarismo e seus ismos locais, algo que em tese teria lastro para contaminar geral e, daí, tomar conta de Goiás, é nada mais que uma tese sem fundamento na realidade. De forma geral a esquerda e os partidos de centro não acharam ainda o caminho da oposição em lugar nenhum. Estão batendo cabeça, enquanto a direita avança – ou se sustenta.

Os tucanos, outros que poderiam fazer frente ao bolsonarismo, continuam sua saga de ir de um lado a outro, chegando a lugar nenhum. O ex-governador Marconi Perillo até tenta voltar à tona, mas sempre vem a notícia de um revés nos processos que enfrenta. Ele anunciou que será candidato a deputado federal. Se for, surge como puxador de voto e isso pode favorecer o PSDB para continuar vivo apesar da cláusula de barreira. A questão: qual o seu capital político de fato? Um fato: ele não mudou. Sés posicionamentos, suas atitudes, tudo ainda tem a ver com o que o levou à derrota na disputa para o Senado. Por enquanto, pelo menos.

Bolsonaro e Caiado estão firmes e fortes no caminho da reeleição (articulação acima de tudo, governo acima de todos). A oposição mantém-se determinada na direção da derrota nacional e local, esperando que as pesquisas de hoje (um alento, uma esperança, um fôlego) sejam a realidade de amanhã. Não sabe o que dizer, sabe menos ainda o que fazer. Fracassa em ser ou não ser. Para mudar esse jogo, só mudando os jogadores adversários ou a bola sobre o pescoço. Tem outra solução: um milagre. A saber: de que lado Deus está?

Recentes

Pequi é cultura, meu Goiás

Faz tempo que a área cultura carece de uma política que o Estado merece Share on facebook Facebook Share on twitter Twitter Pequi é comigo

Assine a newsletter

Leia também

Pequi é cultura, meu Goiás

Faz tempo que a área cultura carece de uma política que o Estado merece Share on facebook Facebook Share on twitter Twitter Pequi é comigo mesmo. Gosto demais. Aliás, como dizem lá na minha terra, gostar mesmo eu gosto é da minha mãe, de pequi, vish!! Essa história de uma

Continue lendo »

Bolsonaro e o nó social

Share on facebook Facebook Share on twitter Twitter O presidente Jair Bolsonaro negociou com o Centrão, garantiu a eleição do representante do grupo a presidente do Legislativo, e assim provavelmente assegurou, entre outras coisas, que o impeachment não ter fôlego. A petista Dilma Rousseff, então na Presidência da República, negou-se

Continue lendo »

Iris seguiu rumo certo, Rogério Cruz começa certo o seu rumo

Ex-prefeito e prefeito mostram sintonia Share on facebook Facebook Share on twitter Twitter O encontro entre atual e ex prefeitos de Goiânia foi cordial e promissor. Com troca de elogios e indicação de bom “intindimento”, o que é boa notícia para a cidade. Iris Rezende tem a Capital no sangue,

Continue lendo »

Caiado visita Iris e reforça torcida para união em 2022

Governador e emedebistas seguem conversando, alimentando especulação de chapa conjunta Share on facebook Facebook Share on twitter Twitter Por muito tempo, uma das críticas mais frequentes a Ronaldo Caiado era a de que não tinha jogo de cintura para alianças. A aposta, então, era de que nunca chegaria ao Senado

Continue lendo »

Leia também