Candidatos sem discurso apelam para platitudes, em Goiânia. Operação especial tenta ‘aprumar’ Mabel

em

|

views

e

comentários

Integrantes do governo estão em busca de duas coisas neste momento: fazer o candidato da base, Sandro Mabel (União Brasil), falar menos, e convencê-lo de que precisa de treinamento. Media training, que é a preparação de políticos para a exposição aberta em discursos, entrevistas, conversas amplas. Por mais experiente que Mabel seja, é na hora de falar que ele anda criando desgaste pra si mesmo, como na declaração de que Ana Paula Rezende (MDB) seria uma boa vice porque o marido dela é um bom gestor. Querem aprumar seu discurso o mais urgente possível, e contam com operação interna especial para isso.

Os candidatos, na prática, ainda estão na fase das platitudes. Uma delas é dizer que Goiânia precisa de um bom gestor. A questão: alguma cidade precisa de um gestor ruim? Outras: “Vamos melhor Goiânia”, “a população será ouvida”, “a cidade está encardida”. Coisas do tipo. Muletas, no jargão popular. Nada ainda de algo consistente, como dizer o que pensa sobre a Comurg e pretende fazer: vai ou não extinguir? Porque dizer que “é preciso acabar com a corrupção” e que será “transparente” está mais para nada dizer.

Não ter um discurso pronto é uma coisa; apelar para o ‘embromation’ é que são elas. Ajustar esse pequeno ‘detalhe’ é a meta principal dos governistas para Mabel, enquanto buscam mais substância para as discussões que importam à cidade e a população. Vanderlan Cardoso (PSD) pelo menos tem a experiência de outras eleições e uma preocupação maior em focar o debate na cidade. O mesmo vale para Adriana Accorsi (PT). O PT iniciou a elaboração do Plano de Governo. Enquanto isso, ela fala com propriedade sobre questões pontuais que conhece. Sabem o que estão fazendo.

As platitudes de Mabel preocupam mais porque mostram um pré-candidato desatualizado com a cidade. E pode resvalar para a ponderação, por parte do eleitor, que é um bom gestor, mas para a iniciativa privada, já que não foi ainda administrador público, vantagem que leva Vanderlan. Mabel precisa também se distanciar da visão que é propagada a respeito de Gayer, que nem platitudes tem falado sobre a cidade, ficando mais no sou ou não sou candidato. No caso dele, porém, há uma máquina de propaganda digna de respeito: o bolsonarismo. Ele vai levando.

Leonardo Rizzo (Novo), Matheus Ribeiro (PSDB) e Fábio Tokarski (PCdoB) vão na mesma linha das platitudes até agora. Porém, são menos cobrados, já que não estão no grupo de frente das pesquisas. E aí uma situação a ser pensada por eles: com baixa possibilidade de eleição neste momento, e sem força política para chamar a atenção para seus nomes, ter um discurso de resistência seria um diferencial para a ocupação elementar de espaços. O discurso raso, vazio, só afasta quem quer ou gostaria de ouvir, por exemplo, o que os outros não dizem.

O caso mais curioso é o do prefeito Rogério Cruz, neste quesito. Ele não fala platitudes. Mas também não fala como candidato, mostrando o que vai fazer. Ele fica preso ao que está fazendo. Ou seja, mantém-se preso a uma pauta que até agora tem resultado em uma coisa concreta: baixa avaliação da gestão e mais baixa ainda intenção de voto. Em síntese: Rogério não tem discurso. E, ao contrário de Gayer, não tem grupo político que o carregue.

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags

Mais Lidas

Prefeito Vilmar reúne pré-candidatos de 15 partidos aliados à Câmara nesta terça, 28

O prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano (UB), reúne nesta terça-feira, 28, a partir das 18 horas, na Atlanta Music Hall, pré-candidatos e candidatas à...

Deputada Delegada Adriana Accorsi destina R$ 5 milhões 480 mil para Aparecida de Goiânia

A deputada federal delegada Adriana Accorsi destinou R$ 5 milhões 480 mil para a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Os recursos foram entregues nesta...

Estudantes de Goiás vão à final de concurso internacional de programação, no Cazaquistão

Equipe formada por alunos da UFG recebeu apoio financeiro do Governo de Goiás, por meio da Fapeg Estudantes do Instituto de Informática da Universidade Federal...

Recentes

Relacionados