Deputada federal delegada Adriana Accorsi recebe homenagem na 13ª edição do Prêmio Neide Castanha

em

|

views

e

comentários

Neste mês que marca a mobilização do 18 de maio, Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a deputada federal delegada Adriana Accorsi, do Partido dos Trabalhadores (PT) foi agraciada com o Prêmio Neide Castanha, na categoria Homenagem Especial.
A cerimônia de entrega foi realizada nesta terça-feira (14/5) durante a Sessão Solene em alusão ao 18 de maio, no Plenário Ulysses Guimarães, da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).
Há 24 anos na Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO), Adriana Accorsi foi Delegada Titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, onde permaneceu por mais de oito anos, liderando centenas de investigações, notadamente em casos de pedofilia, homicídios e exploração sexual de crianças e jovens. Também foi a primeira mulher Delegada Geral da Polícia Civil do Estado de Goiás com grande atuação em defesa das mulheres, crianças e por uma polícia mais humana.
Na política desde muito jovem, integrando o movimento estudantil, e seguindo os passos do pai, professor Darci Accorsi, que foi prefeito de Goiânia e deputado estadual, Adriana também foi secretária municipal de Defesa Social de Goiânia; deputada estadual por dois mandatos (2015 a 2022). Atualmente é deputada federal por Goiás (2023-2026) e pré-candidata do PT a prefeita de Goiânia, sempre criando projetos e defendendo políticas públicas pela inclusão e justiça social.
“É uma alegria ver este plenário colorido com a nossa flor e com a alegria das crianças e adolescentes do Brasil. É uma enorme honra ser lembrada entre tantas pessoas que dedicam suas vidas a esta luta dos direitos das crianças e adolescentes. Meu trabalho visa a transformação que tanto almejamos para um mundo livre da violência e do abuso sexual contra nossas crianças. Luto incansavelmente, como delegada de polícia e como parlamentar, para criar um ambiente onde todas as crianças possam crescer, se desenvolver e prosperar sem medo, cheias de oportunidades. Esta é a causa que move minha vida. Meu compromisso é com todas as crianças na construção de um futuro mais seguro e brincante para todo mundo”, agradeceu Adriana.


Prêmio Neide Castanha – 13ª edição (2024)
Atuação parlamentar: Ana Paula Lima
Boas Práticas em Rede: Rede Cáritas Brasileira pela idealização do Projeto Içá Ação e Proteção
Boas práticas no enfrentamento à exploração sexual como uma das piores formas de trabalho infantil: Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba pelo projeto Criançar
Cidadania: Alzira Melo Costa
Comunicação digital: Documentário “Um Crime entre Nós”, produzido pela Maria Farinha Filmes, idealizado pelo Alana e pelo Instituto Liberta
Produção do Conhecimento: Pesquisa “Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Brasil”, realizada pelo Grupo de Estudos, Pesquisas e Extensões no Campo da Política da Criança e do Adolescente, vinculado ao Departamento de Serviço Social da UFPE
Protagonismo de Crianças e Adolescentes: Programa Cidadão Digital da Safernet Brasil
Responsabilidade Social: SEST SENAT pela realização do Projeto Proteção
Homenagem especial: Adriana Accorsi.

Sobre Neide Castanha
Criado pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e pela Campanha Faça Bonito, o Prêmio é uma homenagem a Neide Castanha, reconhecida defensora dos direitos humanos que dedicou parte de sua vida a luta contra a violência contra crianças e adolescentes no Brasil. Neide participou do processo de construção do ECA e da criação do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.
A premiação tem como objetivo homenagear personalidades, projetos e instituições que, assim como Neide Castanha, se destacaram na defesa dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, em especial dos Direitos Sexuais. A estatueta do Prêmio contém a arte gentilmente cedida pelo cartunista Ziraldo falecido recentemente.

Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

O velório do Bonifácio

Pois é, o Bonifácio morreu. A mídia regional anunciava o fato incansavelmente. Merecido, pois se tratava de pessoa de bem e inspiradora do respeito de todos. Eu também fui ao velório, por que não? Não por curiosidade, isso não. O Bonifácio não me era uma pessoa tão íntima, mas mesmo assim eu gostava dele. Conhecia muitos dos seus feitos em benefício do semelhante. De fato, ele gostava de ajudar os outros. Isso fazia dele uma pessoa bastante popular. Todos o conheciam ali na redondeza.

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...
spot_img

Recentes

Relacionados