Dia dos pais

em

|

views

e

comentários

Por Elson Gonçalves de Oliveira*

No Brasil, o segundo domingo de agosto de cada ano é uma data festiva dedicada aos pais, a fim de celebrar e homenagear essa figura tão importante para a instituição familiar e para a criação e formação dos filhos. É um dos acontecimentos mais festejados em todo o mundo, assim como o Dia das Mães cuja comemoração se dá no segundo domingo do mês de maio, anualmente.

Por isso mesmo e antes de tudo:

Parabéns aos pais que têm ligação consanguínea com seus filhos!…

Parabéns aos pais que optaram pela paternidade afetiva ou adotiva!…

Parabéns aos pais presentes, que não têm medo de assumir a responsabilidade de criar, dar sustento, garantir apoio moral e material, distribuir amor e carinho ao filho indefeso que pôs no mundo; de promover eficiente formação à prole, a fim de que todos se tornem cidadãos(ou cidadãs) úteis para a sociedade e para a pátria!… O alerta é para pai ausente, pedindo a Deus que toque o seu coração, com o intuito de despertá-lo para o cumprimento de seu sublime e elevado dever de pai!…

Parabéns ao pai que goza de boa saúde, que carrega vigor e disposição para batalhar em prol do bem-estar de seus filhos e de sua família!…

Nosso abraço fraternal aos pais doentes e aos pais enfermos, rogando a Deus que lhes restabeleça a saúde, a fim de que possam realizar bem o papel que lhes confiou o Criador!…

 Nossa reverência ao pai que batalhou e cumpriu a sua missão aqui na terra e hoje está morando com Deus!…

Pai ou amigo?…

A priori, pai não é amigo de seu filho nem mãe é amiga de seu filho: pai é pai, mãe é mãe. E amigo é somente amigo.

A paternidade e a maternidade são realidades distintas da amizade. Amigo a pessoa escolhe e pode ter dois, três ou quantos desejar. A qualquer momento poderá substituí-los, caso queira. Pai e mãe são únicos e só por isso não estão sujeitos a ser permutados.

E quando o filho chega, seja ele saudável ou doente, feio ou bonito, os pais devem se jogar na elevada missão de amar e dar sustento, cuidar e educar, como também encaminhar na vida. Da mesma forma, não é dado ao filho o direito de mudar de pai ou de mãe, quando estes contrariam os seus desejos de criança ou adolescente mimado. Claro que não cabe aqui qualquer indagação sobre adoção, que é instituto autêntico e com fundamentos próprios.

Não se deve confundir as coisas: circunstancialmente os pais podem até agir como se fossem amigos e companheiros de seus filhos, conversando com eles, trocando ideias, confidenciando as dificuldades e compartilhando alegrias e tristezas. Porém isso se dá somente por força e em consequência do exercício da paternidade e da maternidade, não em decorrência de um mero relacionamento de amizade. 

Pai ou genitor?…

 Qual a diferença entre pai e genitor? Quem é considerado verdadeiro pai: o que cria e dá sustento ou o que cria, sustenta e, além disso, dá carinho e amor e ajuda a encaminhar na vida?

Na verdade, pai é o que cria, dá sustento, dá amor, dá atenção, ouve o que o filho tem a dizer, ensina ao filho os caminhos da vida, brinca com ele e participa intensamente da sua vida diária.

Genitor é somente o que gera. Por isso, não basta ser genitor, contribuindo com o esperma, apenas, para gerar um filho. É preciso ser pai de verdade. E pai de verdade é aquele que participa efetivamente da vida do filho, seja em casa conversando com ele, seja na escola fazendo parte ativamente de sua vida escolar; seja quando cresce, na travessia difícil da adolescência, na escolha da profissão e no desenrolar da vida adulta.

A presença do pai

A criança ressente muito da ausência e da omissão do pai na sua formação. Ela deseja, sente a necessidade do contato direto com a figura paterna. E o pai não poderá furtar-se à sua obrigação de estar ali junto dela, tão logo possa e de acordo com um planejamento racional, até mesmo de revezamento com a esposa, se for necessário.

Reiteradas pesquisas, envolvendo meninos e meninas de uma faixa etária de até doze anos de idade têm mostrado que a principal reclamação das crianças e adolescentes é com relação à ausência paterna na família. Reclamam da falta de companhia do pai, da sua amizade, do seu carinho e do seu apoio.

Portanto, fica a sugestão: Seja um pai presente e faça seu filho(a) feliz!… Dê-lhe presentes (Não precisam ser sofisticados e caros, podem ser modestos e baratos), pois certamente ele(a) vai gostar muito, ele vai ter a certeza de que você o ama de verdade. Contudo, mais do que isso, faça-se presente não só no aniversário, mas também na vida de seu filho!…

Parabéns a todos os pais pelo seu dia!…

*Elson Gonçalves de Oliveira foi professor de Língua Portuguesa, é advogado militante e escritor, com vários livros publicados.

Elson Oliveira
Elson Gonçalves de Oliveira foi professor de Língua Portuguesa, é advogado militante e escritor, com vários livros publicados.
Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

O velório do Bonifácio

Pois é, o Bonifácio morreu. A mídia regional anunciava o fato incansavelmente. Merecido, pois se tratava de pessoa de bem e inspiradora do respeito de todos. Eu também fui ao velório, por que não? Não por curiosidade, isso não. O Bonifácio não me era uma pessoa tão íntima, mas mesmo assim eu gostava dele. Conhecia muitos dos seus feitos em benefício do semelhante. De fato, ele gostava de ajudar os outros. Isso fazia dele uma pessoa bastante popular. Todos o conheciam ali na redondeza.

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...
spot_img

Recentes

Relacionados