Mabel não é infalível. Lembrem-se do ‘adestrar’ professor. E Vanderlan balançou, mas não caiu

em

|

views

e

comentários

Esses dias me lembrei que há muitos, mas muitos mesmos, muitos e muitos anos não chupo cana. A euforia na base governista com escolha de Sandro Mabel (União Brasil) como candidato a prefeito é um alívio para quem não tinha nome relevante até outro dia, mas está sendo confundido com a euforia de já ganhou.

Mabel tem um longo caminho pela frente. E a busca de um vice mostra as armadilhas no seu caminho. Ele quer alguém do PL, que seja mulher, e que seja também evangélica. E o MDB, como fica nessa história? Já tem o vice-governador, que será governador, e tá bom demais? O projeto Mabel prefeito não é do MDB, importante lembrar.

Nessa linha de raciocínio, o que os emedebistas podem esperar do companheiro Mabel em 2026? Apoio certo? Ou que ele opte por apoiar não Daniel, mas o provável candidato a governador do PL, Wilder Morais? A movimentação de Mabel provoca mais dúvida do que confiança no MDB.

Mabel tem qualidades que batem em cheio com a expectativa do eleitor. Bom gestor e experiente. Mas é conhecido também pelos posicionamentos repentinos que resultam mais em desgaste do que o contrário. Ele é sempre imprevisível.

Em 1992, candidato a prefeito pelo MDB, ele se derrotou principalmente quando usou uma palavra inadequada para se referir aos professores. Em ato falho, tascou um “adestrar” que abriu um campo enorme de ataques a partir dali.

Vanderlan lidera as pesquisas. Se vai deixar de liderar é uma história que ainda não está contada. Como não está garantido que Mabel vai virar um foguete e ultrapassar todos só com o lançamento de seu nome. Uma coisa é perspectiva; outra, a realidade.

Vanderlan está no jogo, pode negociar a permanência ou a retirada de seu nome, e pode fazer isso com Mabel ou com Adriana Accorsi, do PT. E se continuar bem nas pesquisas, logo recuperará o fôlego.

O governo deu um golpe, mas não ganhou a eleição ainda. Vanderlan balançou, mas não caiu de vez. O jogo está sendo jogado. Até a convenção há uma longa caminhada. E muitas pedras pelo meio do caminho.

Vanderlan queria Mabel, seu amigo velho, na sua vice. Mabel virou candidato contra o velho amigo. Velhos amigos, novos adversários, Vanderlan e Mabel terminarão como?

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags

Mais Lidas

Prefeito Vilmar reúne pré-candidatos de 15 partidos aliados à Câmara nesta terça, 28

O prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano (UB), reúne nesta terça-feira, 28, a partir das 18 horas, na Atlanta Music Hall, pré-candidatos e candidatas à...

Deputada Delegada Adriana Accorsi destina R$ 5 milhões 480 mil para Aparecida de Goiânia

A deputada federal delegada Adriana Accorsi destinou R$ 5 milhões 480 mil para a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Os recursos foram entregues nesta...

Estudantes de Goiás vão à final de concurso internacional de programação, no Cazaquistão

Equipe formada por alunos da UFG recebeu apoio financeiro do Governo de Goiás, por meio da Fapeg Estudantes do Instituto de Informática da Universidade Federal...

Recentes

Relacionados