O velho Marconi Perillo de guerra

em

|

views

e

comentários

O ex-governador Marconi Perillo está se movimentando nos bastidores para levantar o PSDB e voltar ao jogo político como candidato a governador de Goiás em 2026. Natural. Duas vezes derrotado para o Senado, ele foi perdendo aliados com o tempo e agora é ressuscitar ou morrer de vez – politicamente, claro.

O mais difícil para Marconi, pelo visto, é encontrar o discurso. Insistir na lembrança de um tempo novo que envelheceu? Na lista de obras que estão incorporadas ao dia-a-dia dos goianos já pouco importa saber quem fez? Quer dizer: isso tem valor, mas não para fazer um ex-governador ressurgir das cinzas.

Marconi está fora dos noticiários. Lembro que nos seus tempos de governador, lideranças como o próprio governador Ronaldo Caiado (União Brasil), ex-aliado e hoje inimigo, reclamavam que quase não tinham espaço na mídia porque o tucano o cercava na imprensa com os recursos do governo. Hoje é o inverso: marconistas reclamam que Marconi sumiu do noticiário porque Caiado fechou o cerco.

Os dois estão certos. Togo governo faz o que pode, e muitos o que não deve, para calar a boca da oposição. Porém, há sempre formas inteligentes de se furar a barricada. Caiado fazia isso muito bem. Marconi, quando na oposição antes de ser eleito governador a primeira vez, também fazia. Decisivos, nestes casos, o que um e outro diziam. Só palavras ao vento não tinham espaço. Palavras bem escolhidas com temas bem estratégicos, por exemplo, sim, tinham. E continuam tendo.

Muito fácil quem está em desvantagem culpar a imprensa, seus assessores, Deus ou o diabo por seus contratempos. Ressaltar a competência alheia tira de si a responsabilidade pela incompetência pessoal. Um fator fundamental para isso é entender o contexto atual. O que as pessoas pensam, desejam, buscam. Usar a idade maior e as lições da queda para enxergar o novo tempo novo.

Marconi Perillo está sem poder, mas age como governador. Onde foi parar aquele rapaz da camisa azul que tinha a arrogância como virtude, em 1998, e não como couraça, como hoje? Para onde vai este senhor que já foi – quatro vezes governador – e que não consegue agora convencer o que quer ser? Por que o rosto franzido com o retrato da raiva se é de leveza o que o mundo precisa?

Um líder atrai. Tem energia fulgurante. Todos querem estar próximos. Um líder aponta o caminho e é seguido, não perseguido. Líder é o que menos temos atualmente. Do que mais precisamos. O líder carrega a mensagem e inspira o futuro. Isso vale para todos, inclusive Marconi. Não dá para retomar a esperança sendo o mesmo que se era 20, 30 anos atrás. Cadê o novo? No velho Marconi de guerras passadas?

O novo não está em 1998. Não está na eleição anterior. O novo já vai longe, está em 2030 e olhe lá se já não avançou, está à frente.

*Texto publicado pelo Diário de Goiás

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

O velório do Bonifácio

Pois é, o Bonifácio morreu. A mídia regional anunciava o fato incansavelmente. Merecido, pois se tratava de pessoa de bem e inspiradora do respeito de todos. Eu também fui ao velório, por que não? Não por curiosidade, isso não. O Bonifácio não me era uma pessoa tão íntima, mas mesmo assim eu gostava dele. Conhecia muitos dos seus feitos em benefício do semelhante. De fato, ele gostava de ajudar os outros. Isso fazia dele uma pessoa bastante popular. Todos o conheciam ali na redondeza.

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...
spot_img

Recentes

Relacionados