Os outros candidatos em Goiânia vão ficar parados vendo Mabel e Caiado fazendo festa?

em

|

views

e

comentários

O nome de Sandro Mabel como o candidato da base governista para a Prefeitura de Goiânia saiu em meio a conversas de bastidores, um clima de surpresa, comemoração e boa aceitação entre aliados e a natural caçada da imprensa ao furo de reportagem, a sofreguidão para ver quem noticiava primeiro, quem confirmava primeiro e quem mostrava que já sabia e bem que avisou.

A manchete principal no principal veículo impresso da cidade foi o ápice de uma, embora não programada, bem sucedida estratégia de lançamento deste nome. Mabel chegou chegando. O governador Ronaldo Caiado capitalizou sem dó nem piedade com os adversários. Esse é o jogo jogado. Mostra com toda sua circunstância e nuances o tamanho da candidatura para os adversários. Agora é pra valer.

Caiado não fez campanha. Fez política. Seu pré-candidato foi apresentado como fato, notícia, solução – na verdade, solução pra ele, e não para a cidade -, e teve uma generosa arrancada. Fez isso sem gastar dinheiro e sem precisar fazer evento de largada.

E depois continuou produzindo notícias, com entrevista, mais reuniões no Palácio e mais movimentações de bastidores que tem alimentado a imprensa e o imaginário. Não quer dizer que disseminou o nome e fez em dois ou três dias todo o trabalho de uma pré-campanha. Quer dizer que fez barulho e chamou a atenção. Agora, sim, virá a campanha.

Há sorte e habilidade em meio a tudo isso. É aproveitar os acontecimentos e fazer disso algo maior. Dar a isso o sentido de um jogo armado, elaborado e genial nem é cabotinismo. É política. Capitalizar não é pecado. Bem feito, torna-se exemplo de admiração.

Veja o contrário: o impacto negativo que a ação toda dos últimos dias teve sobre a imagem de Vanderlan Cardoso (PSD). Vanderlan estava nos céus dos favoritos e desceu ao inferno das incógnitas. Se é hoje que se faz o amanhã, ontem ele estava melhor. Amanhã? Talvez. Precisará renascer das cinzas. Colher o que plantou, se não for isso que está acontecendo.

E agora, como disse, virá a campanha de verdade, o pé no chão, o desafio de transformar a boa escolha em vitória. Não esperem de Caiado, Mabel, do MDB uma pré-campanha de agora em diante, no sentido de uma coisa mais sutil e preparatória. O que se verá é o que já conhecemos: campanha como avalanche.

O sinal de alerta para os demais pré-candidatos é este. Estarão em campo a partir desta semana a máquina do governo, a máquina que Mabel e seu poder de mobilização do setor industrial – e outros, a máquina do MDB de Daniel Vilela, que elegeu Maguito Vilela e Iris Rezende, para não irmos longe.

Mais do que marketing, estamos falando de estrutura abrangente, agenda, gente na rua, movimentação com e sem pressão. Natural, diga-se. Cada candidato entra na disputa com o que tem. Mas natural também, portanto, que os adversários redobrem esforços e se atentem para suas próprias (pré)campanhas.

Esse modo morno de levar a pré-campanha enfrentará nos próximos dias o modo agressivo de fazer campanha de todos esses nomes e os que eles forem juntando aqui e ali. Óbvio que o mais importante é o eleitor. Mas não se trata disso.

Não se trata de esperar que o eleitor rejeite essa demonstração de força e faça como sempre fez, votar contra o candidato do governo. Isso pode acontecer, é verdade. Mas de entender que numa campanha não adianta esperar que Deus produza milagres e que as vitórias caiam do céu como professoras. Tá na Bíblia: é preciso, cidadão e cidadã, que você faça sua parte. Assim.

Num faz seu correto aí não, pra você ver. Ficar parado ou ir devagar enquanto Caiado, Daniel e Mabel fazem a festa não é estratégia de campanha. É velório de si mesmo.

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags

Mais Lidas

Prefeito Vilmar reúne pré-candidatos de 15 partidos aliados à Câmara nesta terça, 28

O prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano (UB), reúne nesta terça-feira, 28, a partir das 18 horas, na Atlanta Music Hall, pré-candidatos e candidatas à...

Deputada Delegada Adriana Accorsi destina R$ 5 milhões 480 mil para Aparecida de Goiânia

A deputada federal delegada Adriana Accorsi destinou R$ 5 milhões 480 mil para a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Os recursos foram entregues nesta...

Estudantes de Goiás vão à final de concurso internacional de programação, no Cazaquistão

Equipe formada por alunos da UFG recebeu apoio financeiro do Governo de Goiás, por meio da Fapeg Estudantes do Instituto de Informática da Universidade Federal...

Recentes

Relacionados