Pensamentos soltos sobre Rogério Cruz e as nuances do poder

em

|

views

e

comentários

Rogério Cruz tem como maiores adversários, da perspectiva de sua reeleição para a prefeitura de Goiânia, assessores bem próximos. Essa tese não é nova e sempre ressurge em momentos de crise. Um prefeito sem perspectiva de poder (futuro) é um ex-prefeito no poder (passado). O seu tempo presente passa a ser um só: definhamento político. Por isso, a estranheza. Se o plano é não buscar a reeleição, por que dificultar a caminhada, já que bastaria trocar passes em campo e deixar o juiz apitar o fim da partida?

A não ser que não haja um plano. Ou que o plano da não reeleição preveja também intervenções sistemáticas em qualquer outro plano que leve a uma eventual possibilidade de reeleição. Curioso que tudo fica mais caro em uma gestão que parte puxa para o norte, outra parte estica a corda para o sul, e mais outros empurram daqui e dali para leste e oeste. A relação com a Câmara fica mais tensa. O contato com a população via imprensa, que quer informação, sobe no telhado.

Em vez de andar de rodinha, de repente o prefeito está arrastando sua administração e sua imagem, contaminada pelo espanto da plateia e pelo desprezo dos próprios aliados, cada dia mais motivados pela lei da sobrevivência: é cada um por si e Deus que se vire nos trinta. O prefeito não perde só o controle de suas ideias, seus possíveis sonhos, suas metas e sua luta por uma marca e uma boa herança. Ele perde a noção de tempo e de espaços na estrutura que ele próprio nomeia e desnomeia ao som das cobranças de opositores e aliados.

Convenhamos, se o prefeito não tem um plano, alguém tem, e vai executá-lo mesmo que tenha que executar o prefeito junto. Se o prefeito compactua desse plano que o desqualifica, aí podemos pensar: não é que ele merece o futuro que se avizinha? Porque o legado de um prefeito não se resume apenas a uma administração boa ou desastrada. Há que se acrescentar aí a conta jurídica dos atos. Uma coisa é ter para si uma certeza categórica de que tudo está nos conformes da lei.

Outra é isso estar amarrado em nome de Jesus nos atos dos assessores desesperados com o fim do poder ou dos assessores que estão nem aí para a pipoca, uma vez que não serão eles a pagar para ver os tribunais de contas agirem depois. Uma prefeitura é constituída de muitas células ocupadas por indicados que obedecem a esses indicados, não necessariamente aos interesses públicos ou do prefeito. E quem está vigiando o vigia da escola? Quem está cuidando do caixa daquela agência ou daquela companhia?

O descontrole nem sempre está na cabeça dos gênios elaboradores de planos de saída que preveem vida longa e confortável. O descontrole está no que acontece abaixo das torres do castelo. Ali, quando há a convicção do descomando, do cada um por si e de que começou o velório da perspectiva de poder, tudo passa a ser feito a torto e a direito. Não há novidade nisso. Em casa que não tem dono, cupim toma conta. O que leva à questão: Rogério Cruz pode até ter inimigos, mas o que está corroendo seu futuro certamente não são eles.

*Texto publicado pelo Diário de Goiás

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

O velório do Bonifácio

Pois é, o Bonifácio morreu. A mídia regional anunciava o fato incansavelmente. Merecido, pois se tratava de pessoa de bem e inspiradora do respeito de todos. Eu também fui ao velório, por que não? Não por curiosidade, isso não. O Bonifácio não me era uma pessoa tão íntima, mas mesmo assim eu gostava dele. Conhecia muitos dos seus feitos em benefício do semelhante. De fato, ele gostava de ajudar os outros. Isso fazia dele uma pessoa bastante popular. Todos o conheciam ali na redondeza.

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...
spot_img

Recentes

Relacionados