Por hoje é tudo

em

|

views

e

comentários

Há mais dias de tristeza ou a tristeza que toma mais espaço na alma quando chega? Perguntinha básica para um dia de dor. Um amigo que se vai, outro que adoece, eu que não me acostumo com o fluxo contínuo de minhas lágrimas cotidianas. Meus ombros suportam o mundo, já disse Drummond, com poesia nas mãos e o suspiro mais pesado do mundo – o que imagino, porque não sei o que ele sentia, sei o que sinto quando leio seu verso, quando suporto e sustento céus e terras na ponta da pele.

Prefiro nem nomear o que me faz estar assim. Parece que qualquer fato, qualquer desajuste no mundo, é pouco para o quanto me quedo. Eu sofro por um tropeço da formiga, pelo pingo de água que resta, por uma réstia de alho que falta, ou o arroz queimado além do gosto da fazenda. Sofro ao saber da guerra, ao escutar meu coração bater sem entusiasmo, ao engolir seco por conta dos meus fracassos, e inevitavelmente por saber que não há palavras para o amor que resta apensar da dor que me consome.

Tudo é pequeno, a não ser eu que me espalho pela terra e pelo ar como inútil esperança. Estou fora de minha margem de erro, eu sei, além da área de segurança do espírito que sustenta meu corpo. E este exagero me toma de surpresa sempre, embora sempre o mesmo e sempre inevitável. Não sou menos que o meu exagero de sentimentos liquidificados. Por estar assim, corri pelo cerrado desembestado, até cansar, até verter a última gota de suor que resta aos vivos. Até ser o próprio suor.

* Texto publicado pela Tribuna do Planalto

Vassil Oliveira
Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação Pública de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).
Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

O velório do Bonifácio

Pois é, o Bonifácio morreu. A mídia regional anunciava o fato incansavelmente. Merecido, pois se tratava de pessoa de bem e inspiradora do respeito de todos. Eu também fui ao velório, por que não? Não por curiosidade, isso não. O Bonifácio não me era uma pessoa tão íntima, mas mesmo assim eu gostava dele. Conhecia muitos dos seus feitos em benefício do semelhante. De fato, ele gostava de ajudar os outros. Isso fazia dele uma pessoa bastante popular. Todos o conheciam ali na redondeza.

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...
spot_img

Recentes

Relacionados