O feriado em homenagem à padroeira do Brasil e o dia da criança

em

|

views

e

comentários

A Lei nº6.802/1980, sancionada pelo então Presidente, João Batista Figueiredo, declara feriado nacional o Dia 12 de Outubro, consagrado a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. Na mesma data é celebrado o Dia da Criança, com alegria e sem aborto.

Maria, que no Brasil recebe o título de Nossa Senhora Aparecida, foi mãe, esposa e paciente dona de casa. Veio de família humilde e pobre e levou vida simples de interior. Disse sim ao chamado do Pai e deu à luz o Menino Deus, o Salvador. Acompanhou todos os passos de seu filho, inclusive o martírio do calvário. Contudo, apesar das dores sofridas, foi a mulher mais feliz deste mundo, não só por que amou o filho Jesus, como também por que não fez outra coisa na vida senão a vontade de Deus. Maria viu o filho nascer e crescer. Por isso ela sabe perfeitamente que pelo filho se faz tudo. Filho é a alegria da casa e da família.

Segundo Carnelutti, jurista italiano, “O pai ama o filho, sobretudo quando castiga”. E Pitágoras, filósofo e matemático grego, afirmou: “Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens”. E Jesus Cristo disse: “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas”.

No melhor conceito familiar, filho é o fruto do amor dos pais. Ao mesmo tempo, torna-se inegável que o filho é também uma responsabilidade a mais para quem o coloca no mundo. É dever dos pais educá-lo convenientemente. Quanto mais o casal conseguir assumir o verdadeiro papel de pais, mais conseguirá aumentar o seu amor conjugal e a união da família.

Mesmo trabalhando fora de casa e tendo de deixar o filho sob os cuidados de outra pessoa, a mãe é quem lhe dedica os melhores cuidados, como por exemplo: banho, mamadeira, colo, atenção, tudo dentro de um clima de tranquilidade e amor. 

A mãe é a pessoa mais íntima do filho. É ela quem deixa tudo para conversar com ele, para brincar, para verificar sua saúde e para tudo que for preciso. Os afazeres domésticos podem ficar para outras pessoas, mas o carinho materno é insubstituível. Ela sabe que o mais importante é criar um filho capaz de realizar-se na plenitude humana.

Tudo isso vale também para o pai. A criança ressente muito da ausência e da omissão do pai na sua formação. Ela deseja, sente a necessidade do contato direto com a figura paterna. E o pai não poderá furtar-se à sua obrigação de estar ali junto dela, tão logo possa e de acordo com um planejamento racional, até mesmo de revezamento com a esposa, se for necessário.

Reiteradas pesquisas, envolvendo meninos e meninas de uma faixa etária até doze anos de idade têm mostrado que a principal reclamação das crianças e adolescentes é com relação à ausência paterna na família. Reclamam da falta de companhia do pai, da sua amizade, do seu carinho e do seu apoio presencial.

É prudente frisar que há momentos na vida que certamente serão únicos no relacionamento pai e filho. Apenas uma vez a cada ano ele faz aniversário e quererá aproximar-se do pai, sentar-se em seu colo, receber um carinho e ouvir palavras de elogios e estímulos. No curto período da adolescência, enfrentará obstáculos especialíssimos e sentirá vontade de compartilhar as suas dificuldades com o pai, por que vê nele um amigo com quem conversar e confidenciar as suas intimidades. No colégio ou na universidade, ele precisará trocar ideias com o pai com vistas à eficiente reordenação de sua caminhada. Nas questões de trabalho, desejará servir-se da sabedoria e da experiência do genitor.

Assim sendo, se o pai deixa passar essas oportunidades não muito sutis, correrá o risco de perder o filho, pois ele poderá acostumar-se com a ideia de não ter pai presente e poderá atrair a aproximação de pessoas não recomendáveis.

Por essa razão e com vistas à melhor formação da criança, dos pais é exigido parar tudo e refletir, escutar com atenção e interessar-se pelas dificuldades que o filho coloca. Muitas vezes são questões que para os adultos se mostram insignificantes, mas para eles, imaturos ainda e jogados nos trilhos da existência são barreiras insuperáveis, são problemas em escala sucessiva e bem maiores do que a sua capacidade de raciocinar e de agir; outras vezes o filho só quer mesmo é atenção, apenas um olhar dentro dos olhos, para poder concluir com orgulho: “Este é meu pai!”. Só isso.

Insistindo um pouco mais na questão do pai ausente, na reta intenção de despertá-lo para o cumprimento de suas obrigações paternais, diria que o pai ausente faz o filho sofrer, faz a esposa sofrer, faz a família sofrer… Especialmente o filho, que se espelha na figura paterna. Ele quer ser igual ao pai em tudo: na estatura, na profissão, nas ideias que ele defende, nas coisas de que gosta… E a filha tem uma atração filial predileta pela figura do pai: admira-o, acha-o um gato, tem ciúmes dele… E assim por diante.

Afinal, já foi dito que os filhos são, antes de tudo, herdeiros dos sonhos de seus pais. E quando os sonhos dos filhos se realizam, os pais celebram a esperança.

Numa última palavra, diria que é tão gratificante ver os filhos crescerem e se encaminharem positivamente na vida!… É gratificante ver o filho realizando aquilo que era sonho do pai e ele, o pai, por uma razão ou outra não conseguiu realizar. Assim sendo, a realização do filho é dupla: filho e pai se realizam com uma única vitória.

Amar o filho é dar carinho, sustento, educação.

Amar o filho não é deixá-lo fazer o que bem entender.

Amar o filho é estabelecer limites à sua conduta.

Amar o filho é atribuir-lhe responsabilidades.

Amar o filho é repreendê-lo no erro.

Amar o filho é fazer valer a autoridade de pai e de mãe.

Amar o filho é encaminhá-lo na vida pelas trilhas do bem.

Amar o filho é mostrar-lhe que Deus existe e está acima de tudo.

Parabéns a todas as crianças pelo seu dia, com as bênçãos de Maria, a mãe de Jesus!…

Elson Oliveira
Elson Gonçalves de Oliveira foi professor de Língua Portuguesa, é advogado militante e escritor, com vários livros publicados.
Compartilhe
Tags
spot_img

Mais Lidas

Mutirão de Aparecida no Santa Luzia inicia atendimentos diretos nesta sexta, 24

Moradores poderão usufruir de mais de 100 tipos de serviços, incluindo segunda via de certidão de nascimento, casamento e óbito, que são novidade nesta...

Governo de Goiás: veja o que abre e fecha no feriado da padroeira de Goiânia

As repartições públicas estaduais na capital fecham nesta sexta-feira e reabrem na segunda-feira. Atividades essenciais, como saúde e segurança pública, funcionam normalmente Na sexta-feira (24/05),...

Propósito

Procura-se um propósito. Não qualquer propósito. Um que faça mais do que ser um ponto no horizonte. Que carregue o peito com muito combustível,...
spot_img

Recentes

Relacionados